Análises

Nova trilha aquática da Rede Brasileira de Trilhas é a primeira no Rio Grande do Sul

A trilha aquática é o terceiro modal a ser oferecido por este Caminho, se somando ao percurso de Caminhada e Cicloturismo, que conectará aproximadamente 28 municípios

Entre os dias 21 e 22 de abril de 2023, o rio Jacuí, localizado na região central do RS, foi palco do lançamento da 1º trilha aquática do Estado a ser registrada na Rede Brasileira de Trilhas, ficando assim disponível como mais um atrativo turístico para os municípios da região. 

Inserida no Corredor Ecológico da Quarta Colônia, a trilha aquática é o terceiro modal a ser oferecido por este Caminho, se somando ao percurso de Caminhada e Cicloturismo, que conectará aproximadamente 28 municípios. O percurso da trilha aquática no rio Jacuí conta com um total de 152 km de extensão e tem como ponto de partida o Parque Estadual Quarta Colônia, no município de Agudo (RS), distante aproximadamente 4 horas da capital Porto Alegre e segue pelo leito do rio envolvendo seis municípios: Nova Palma, Dona Francisca, Agudo, Paraíso do Sul e Restinga Seca, até chegar em Cachoeira do Sul, limite do território do Corredor Ecológico da Quarta Colônia. 

De origem tupi, Jacuí significa rio dos jacus, um dos principais rios do Rio Grande do Sul, com 800 km de extensão e faz a conexão da capital com a região central e serviu de porta de entrada para colonização de imigrantes, tendo um importante contexto histórico agregado.  

Os remadores que participaram da atividade de lançamento da trilha aquática representam o Grupo Bandeirantes da Serra – GBS, Associação Santamariense de Esportes Náuticos – ASENA, Fundação Estadual de Proteção Ambiental – FEPAM, Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura e autoridades e comunidade dos municípios de Dona Francisca, Agudo, Paraíso do Sul e Cachoeira do Sul.

A trilha

A imersão na trilha aquática do Caminho do Corredor Ecológico começou com a chegada na pequena e graciosa cidade de Agudo. Com uma população de 15 mil habitantes, foi possível conhecer muito das tradições italianas e alemãs ainda preservadas no cotidiano da cidade. Partimos por uma estrada de chão, por um percurso de 30 minutos, serpenteando a floresta, os morros e margeando o rio Jacuí. Chegamos no início da trilha aquática, identificada com uma placa contendo as informações básicas. Antes mesmo de colocar os caiaques na água, foi possível observar a riqueza de ambientes e paisagens do local, formado por morros rochosos, floresta, fauna abundante e, principalmente, o protagonista, o belíssimo rio Jacuí. 

Devido às condições de estiagem, as águas do rio se tornaram rasa e cristalinas, com isso, foi possível, ao longo de todo o percurso, entre uma remada e outra, observar as rochas e peixes do fundo do rio, o que em contraste ao azul do céu e verde da floresta que margeiam o rio, tornou o percurso da trilha aquática uma experiência de imersão na natureza inesquecível. Contando com uma correnteza favorável à remada, o desgaste físico não foi empecilho para deixar de conhecer essa trilha, pois as 6 horas de imersão na natureza que separam o início da trilha até o ponto de chegada que encerra o primeiro trecho, no município de Dona Francisca, foi recompensado. 

Dona Francisca, com 2.500 habitantes, é uma típica colônia italiana, com arquitetura representativa, rica gastronomia e um povo acolhedor. Um lugar de paz para recarregar as energias e partir para os próximos trechos que virão nas águas do rio Jacuí.

A equipe de apoiadores da trilha aquática seguirá com os trabalhos para implementar os próximos trechos e convida a todos para visitar a região do Caminho do Corredor Ecológico da Quarta Colônia e percorrer a trilha aquática. Para mais informações, entre em contato pelo e-mail [email protected] ou acompanhe o perfil do Caminho no Instagram @caminhocorredordaquartacolonia.

Início da trilha, antes de entrar na água. Foto: Voluntários do Caminho.

As opiniões e informações publicadas nas seções de colunas e análises são de responsabilidade de seus autores e não necessariamente representam a opinião do site betano. Buscamos nestes espaços garantir um debate diverso e frutífero sobre conservação ambiental.

  • Dennis Nogarolli Patrocínio

    Analista Ambiental da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura do RS, é biólogo e mestre em desenvolvimento rural. Integrante da equipe de gestão do Corredor Ecológico da Quarta Colônia e responsável pela temática de trilhas de longo curso.

  • Letícia Viana Osório

    Eng. Ambiental, Especialista em Sustentabilidade e Políticas Públicas, integrante da Equipe de Coordenação do Caminho do Corredor Ecológico da Quarta Colônia

  • Luciano Soares

    Coordenador de pesquisa e desenvolvimento do Caminho do Corredor Ecológico da Quarta Colônia, Diretor do Grupo Bandeirantes da Serra, Diretor de Geotecnologia da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso.

  • Raquel Pretto

    Engenheira Florestal, Mestre em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável. É Analista Ambiental da Fundação Estadual de Proteção Ambiental do Rio Grande do Sul (FEPAM)

Leia também

Colunas
10 de março de 2023

Sendero do Chile e Huella Andina, duas gigantes sul-americanas

Trilhas de longo curso e sistemas de trilhas não são projetos, são processos. Processos que podem levar décadas para se consolidar. Foi esse processo que vi no Chile e na Argentina

Análises
17 de fevereiro de 2023

Entre Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica nascem os Caminhos da Ibiapaba

Trilha de longo curso cruza 130 quilômetros de paisagens únicas entre Ceará e Piauí foi inaugurada no começo de fevereiro, totalmente sinalizada

Análises
31 de janeiro de 2023

Trilha Transmantiqueira e suas pegadas na crista da Serra Fina

A implementação da trilha de longo curso que cruza a Serra da Mantiqueira, entre Minas Gerais e São Paulo, em conexão com a Associação dos Proprietários da Serra Fina e as Unidades de Conservação

Mais de betano

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.