Notícias

Documentário “Escute: a terra foi rasgada” mostra a luta indígena contra o garimpo ilegal na Amazônia

Longa retrata pensamento e cultura dos povos Yanomami, Munduruku e Kaiapó e a aliança histórica dos três povos na defesa de seus territórios

Cristiane Prizibisczki·
7 de junho de 2023

Na semana em que indígena de todo o Brasil estão mobilizados contra o Marco Temporal, estreou no país o documentário “Escute: a terra foi rasgada”, que retrata a aliança de três povos indígenas da Amazônia – Yanomami, Munduruku e Mebêmgôkre (Kayapó) – contra o avanço do garimpo ilegal sobre suas terras. O documentário integra a 12ª Mostra Ecofalante de Cinema, com sessões extras ao longo do feriado e exibição até o dia 14 na capital paulista.

Dirigido por Fred Rahal e Cassandra Melo, e construído em parceria com a Aliança em Defesa dos Territórios, o documentário mostra o universo dos povos indígenas, pressionados pela destruição causada pela exploração mineral ilegal de suas terras.

Ele também propõe uma aproximação ao pensamento e cultura dos Yanomami, Mundukuru e Kayapó na formação da Aliança, histórica para a comunidade dos povos originários.

“É uma narrativa sobre resistência e resiliência, na figura de uma união inédita que firma a manutenção de seus territórios físicos e subjetivos. Para além da destruição causada pelo garimpo, este é um filme sobre a impossibilidade de separação entre a existência indígena e o seu território”, diz descrição do filme.


Segundo o dossiê “Terra Rasgada: como avança o garimpo na Amazônia Brasileira”, lançado pela Aliança em Defesa dos Territórios e organizações parceiras, o garimpo nas terras indígenas dos três povos disparou 495% entre 2010 e 2020.

“Todos viram a situação dos Yanomami, mas nós estamos passando fome porque o garimpo contaminou nossos rios e não podemos mais pescar, nós não precisamos que enviem comida, nós precisamos que nossas terras sejam protegidas”, disse o líder indígena Yanomami Davi Kopenawa, durante debate no lançamento do documentário, no último domingo (4).

Os dias e locais de exibição podem ser conferidos na página da Mostra Ecofalante. A entrada é gratuita, com retirada de ingresso uma hora antes do início da sessão. 

Além deste documentário, a Mostra conta com a exibição de outros 101 documentários de 39 países. A programação geral pode ser conferida aqui.

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
25 de maio de 2023

País levou menos de cinco meses para tentar nos calar novamente, diz Sonia Guajajara

Ministra dos Povos Indígenas criticou aprovação do regime de urgência do PL 490, que permite exploração de Territórios e muda regras para demarcação de TIs

Notícias
7 de junho de 2023

Após voto contrário de Moraes, análise do Marco Temporal é adiada no STF

Esta é a quarta vez que matéria é adiada no Supremo, agora por pedido de vistas de André Mendonça. Barroso deixou escapar que é contra tese

Reportagens
15 de setembro de 2021

Escuta o xamã: Davi Kopenawa Yanomami envia mensagem para o povo da cidade

Liderança indígena faz apelo por mobilização contra a aprovação do marco temporal e do Projeto de Lei 490

Mais de betano

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.