Reportagens

Madeira? Não. Biomassa!

Líderes das maiores florestas lamentam ausência nos debates sobre o efeito estufa e as indefinições do mercado de carbono e discutem se o futuro das árvores está na biomassa.

Manoel Francisco Brito·
17 de novembro de 2008·15 anos atrás
Tasso Azevedo, do Serviço Florestal Brasileiro, diz que a instituição que ele comanda não está oficialmente envolvida nas discussões de governo sobre o aquecimento global. Mas ele, pessoalmente, está. “Em quase todos os países, quem faz parte do círculo oficial de discussão sobre esse assunto não conhece florestas”, afirma.
Tasso Azevedo, do Serviço Florestal Brasileiro, diz que a instituição que ele comanda não está oficialmente envolvida nas discussões de governo sobre o aquecimento global. Mas ele, pessoalmente, está. “Em quase todos os países, quem faz parte do círculo oficial de discussão sobre esse assunto não conhece florestas”, afirma.
Na manhã seguinte, Azevedo liderou a visita dos Megaflorestais aos 400 mil hectares onde operam uma operação madeireira de baixo impacto ambiental e uma usina de geração de energia da Precious Woods. A área fica a mais ou menos uma hora de Itacoatiara e depois do que disse Roberts, a visita a ela ganhou significado especial. De certo modo, pelo menos ali em Itacoatiara, a Precious Woods está com um pé no futuro que ele desenhou. Ela já tira renda queimando biomassa na usina que supre 70% das necessidades de luz de Itacoatiara. Essa operação é responsável por  40% de sua receita operacional anual.

*Manoel Francisco Brito acompanhou a reunião dos Megaflorestais à convite do Serviço Florestal Brasileiro

Leia também

Salada Verde
19 de fevereiro de 2024

Fake news: Vídeo de extração de madeira ilegal no Pará não é recente

Circula nas redes sociais imagem de extração ilegal de madeira no Pará, só que o vídeo é de 2019. Governo Federal e Aos Fatos desmentiram publicação

Reportagens
19 de fevereiro de 2024

Na Amazônia, bloco de Carnaval reúne milhares de foliões no manguezal

“Pretinhos do Mangue”, em Curuçá (PA), exalta a cultura do mangue na festa mais popular da Terra, mas festejo coincide com o defeso do caranguejo-uçá, que deveria ser deixado em paz no período

Colunas
19 de fevereiro de 2024

A “cupinização” do licenciamento ambiental paulista

O sistema ambiental paulista vem criando barreiras ao controle social, instalando um atoleiro que impede decisões pró-sociedade e pró-sustentabilidade

Mais de betano

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.