Salada Verde

Criminoso ambiental na Amazônia diz que se sentia protegido por “Lei de Bolsonaro”

Informação consta em auto de infração lavrado pelo ICMBio em Roraima. Autuado apoiava ação de garimpeiros na Terra Indígena Yanomami

Cristiane Prizibisczki·
8 de fevereiro de 2023
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Dados de autos de infração ambiental obtidos pelo projeto Data Fixers, em parceria com a agência de Dados Fiquem Sabendo, revelam o clima de impunidade que imperou na Amazônia durante a gestão Bolsonaro. Em um dos autos ao qual o projeto teve acesso, o órgão ambiental relata que o infrator ironizou a ação de fiscalização contra o garimpo na Terra Indígena Yanomami e disse se sentir protegido por “Lei de Bolsonaro”. A informação foi divulgada na segunda-feira (6).

O auto em questão refere-se a uma operação realizada em setembro de 2022 pelo ICMBio na região da Estação Ecológica Maracá, em Roraima, que estava sendo utilizada como ponto de logística em apoio ao garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami.

Durante a operação, os agentes do órgão ambiental abordaram um homem que admitiu fazer o transporte de suprimentos e pessoas para a região do garimpo. O auto de infração relata que, além de não colaborar com a fiscalização, o homem ria da ação dizendo que era certo que “tudo isso não dá em nada” e que os garimpeiros poderiam ficar tranquilos porque “aqui nada será destruído pois a lei do Bolsonaro não permite”.

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Salada Verde
14 de setembro de 2022

PV denuncia na Justiça prescrição de multas ambientais

A ação foi proposta pela secretária de Assuntos Jurídicos do PV, Vera Motta, e acusa o governo Bolsonaro de gerar prescrição em massa e fragilizar a fiscalização ambiental

Notícias
31 de agosto de 2022

TCU dá 60 dias para governo apresentar plano que resolva demora na execução de multas ambientais

Auditoria no Ibama mostrou problemas na condução dos processos de apuração e cobrança de sanções ambientais. Quase 60 mil multas podem prescrever até 2024

Notícias
11 de fevereiro de 2022

Ibama só agiu sobre 1,3% dos alertas de desmate

Estudo do MapBiomas mostra que apenas 6,1% da área desmatada da Amazônia em 2020 teve embargos ou multas do órgão ambiental

Mais de betano

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.