Salada Verde

Projeto de Mendes é mencionado em recurso para construção de usinas no rio Cuiabá

À Sema, empreendedor afirma que indeferimento de licença não foi técnico e que projeto do governador do estado para proibir pesca com fim comercial não foi considerado durante análise

Michael Esquer·
5 de julho de 2023
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

Para tentar reverter a decisão da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) que indeferiu a licença prévia para a construção de seis pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) no rio Cuiabá, em Mato Grosso, a Maturati Maturati Participações S.A protocolou um pedido de revisão onde afirma, entre outras coisas, que o indeferimento não tem “lastro técnico” e que o órgão ambiental estadual não considerou o projeto de lei (PL) de autoria do governador Mauro Mendes (União Brasil-MT), que quer proibir a pesca com fim comercial no estado. 

Com a justificativa de mitigar a pesca predatória e recuperar o estoque pesqueiro do estado, o PL nº 1.1363/2023foiaprovado na última semana pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), em meio a manifestações contrárias de ribeirinhos, pescadores e especialistas, que denunciaram o risco de vulnerabilidade social e ameaça ao modo de vida daqueles que dependem da pesca artesanal, como mostrou betano

Entretanto, a proposta não apenas é caracterizada como benéfica pelos empreendedores como também é mencionada no pedido de revisão encaminhado à Sema-MT, no eixo que lista as razões pelas quais o Termo de Indeferimento e de Arquivamento da licença devem ser revistos. “Contém uma série de benefícios e programas socioeconômicos contemplados, sequer considerados por essa Sema, ao avaliar a viabilidade técnica do empreendimento”, afirma a Maturati Participações S.A no pedido de revisão, assinado em 15 de junho, dias depois de Mendes ter encaminhado o PL à ALMT. 

Tecnicamente, porém, não haveria como o projeto do governador ter sido considerado pela Sema-MT quando do indeferimento da LP, como reclama o empreendedor, porque ele sequer tinha sido proposto naquele então – a licença foi indeferida e arquivada no dia 16 de maio e o PL nº 1.363 enviado à ALMT no dia 31 do mesmo mês, como também mostrou betano

Ao indeferir a licença, a Sema-MT apontou que as usinas afetariam a reprodução de peixes e provocaria a desapropriação de populações ribeirinhas e comunidades locais. A decisão também considerou estudo contratado pela Agência Nacional de Águas (ANA), que caracteriza o rio Cuiabá como zona vermelha para a instalação de usinas hidrelétricas, ou seja, uma área estratégica para manutenção dos estoques pesqueiros porque suporta atividades econômicas de turismo de pesca, pesca profissional artesanal e pesca difusa. 

Para analisar os documentos e demais argumentos apresentados pelo empreendedor, a pasta desarquivou o processo de licenciamento do complexo hidrelétrico, como mostra publicação desta terça-feira (4) no Diário Oficial do Estado.

A betano, a Sema-MT já havia confirmado na segunda-feira (3) o recebimento do recurso administrativo da Maturati Participações S.A. “O processo deve ser desarquivado para a juntada do recurso e análise técnica dos apontamentos do empreendedor”, disse a pasta, por meio de nota. 

  • Michael Esquer

    Jornalista pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com passagem pela Universidade Distrital Francisco José de Caldas, na Colômbia, tem interesse na temática socioambiental e direitos humanos

Leia também

Notícias
13 de junho de 2023

Projeto do governo de MT ameaça modo de vida de pescadores, alertam pesquisadores

Executivo ignorou minuta de conselho e enviou à Assembleia projeto que quer proibir pesca com fim comercial por cinco anos. Aprovada em primeiro turno, matéria aguarda última votação

Notícias
1 de junho de 2023

Mato Grosso quer proibir pesca com fim comercial até 2029

Projeto quer mitigar pesca predatória, mas pode colocar pescadores artesanais, sobretudo na bacia pantaneira, em situação de vulnerabilidade social, advertem organizações

Notícias
16 de maio de 2023

Sema indefere licença de usinas no rio Cuiabá

Construção de complexo hidrelétrico afetaria a reprodução de peixes e provocaria a desapropriação de populações ribeirinhas e comunidades locais, aponta pasta

Mais de betano

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários3

  1. Vânia Davanzodiz:

    Olha só que importante notícia!!
    Agora precisamos fiscalizar a efetivação dos pagamentos das multas. Qual o prazo?


  2. Vânia Davanzodiz:

    A SEMA-MT precisa buscar fortalecimento …


    1. João Pinheiro Filhodiz:

      A SEMA DEVE-SE MANTER FIRME NO SEU PROPÓSITO DE IMPEDIR A DESTRUIÇÃO DO RIO CUIABÁ CMO A CONSTRUÇÃO DESTAS MALÉFICAS pchS.